Bem-vindo à BOL. O nosso site usa cookies e outras tecnologias para personalizar a sua experiência e compreender como você e os outros visitantes usam o nosso site.
Para ver uma lista completa das empresas que usam estes cookies e outras tecnologias e nos informar se podem ou não ser utilizadas no seu dispositivo, aceda à nossa página de política de cookies.

Concordo
Distrito Sala
Detalhe Evento
HELLO MY NAME IS (Bienal BoCA)

HELLO MY NAME IS (Bienal BoCA)

Teatro & Arte | Teatro

Teatro Nacional D.MariaII

Salão Nobre
Classificação Etária
Maiores de 12 anos
Bilhete Pago
A partir dos 3 anos
2019
abr
11
a
2019
abr
13

Próxima Sessão

11 abr 2019 21:00
Dias
Hrs
Min
Seg

Duração

50 minutos

Promotor

Teatro Nacional D. Maria II E.P.E.

Sinopse

O timing não podia ser mais adequado. Num tempo em que assistimos à iminência de novos radicalismos, de posições extremadas, Paulo Castro regressa ao teatro político que tem marcado o seu percurso com Edward Bond e "Coros depois dos assassinos.
Neste tempo presente, revisitamos o passado recente, esmagador dos direitos e liberdades humanas, que resultou no massacre de centenas de pessoas, em Timor Leste, ex-colónia portuguesa. A peça marca o regresso a Portugal do criador radical e disruptivo, que em 2002 fundou a companhia Stone/Castro, partilhando a direção artística com a bailarina Jo Stone, fazendo de Adelaide (Austrália) a sede de trabalho a partir de 2006.
Na peça de Bond, o dramaturgo britânico imagina um mundo de violência por vir, 50 anos mais tarde (a peça é de 1998), resultado de uma escalada do domínio militar. Os sintomas dessa sociedade militarizada, opressiva e devastadora das liberdades humanas podem agora ser revisitados em Hello My Name Is, um espectáculo para um homem só, interpretado pelo ator timorense José Da Costa. Neste "one man show, Da Costa faz uma apresentação poderosa de um homem que se coloca em múltiplos papéis ele é a pessoa que faz luto por alguém que foi assassinado, para logo a seguir ser o militar que dispara a matar , usando a linguagem poética de Edward Bond para chamar a atenção para os desafios enfrentados por Timor Leste, tanto no passado quanto no presente. Aqui, não há apenas um responsável pelas atrocidades, incluindo figuras históricas como Ali Alatas ou Gareth Evans... todos estamos implicados no destino da humanidade.

Ficha Artística

direção Paulo Castro
texto a partir de Coros para Depois dos Assassinatos, de Edward Bond
com Rashidi Edwards
produção Colectivo 84 (Portugal), Stone/Castro (Austrália), BoCA (Portugal) e OzAsia Festival Australia
fotografia Duane Preston
duração 50 min

Espetáculo falado em Inglês e Tétum, com legendas em português.

Espetáculo estreado no OZAsia Festival Australia 2018.

Preços

  • Salão Nobre - 11€

Descontos

  • Desempregados
  • Jovens (até 30 anos)
  • Pessoas c/nec. especiais
  • Prof. do espetáculo
  • Seniores (+ 65 anos)

Transportes Públicos

Metro - Linha Azul (estação Restauradores) / Linha Verde (Rossio)
CP - Estação do Rossio
Autocarros/eléctricos Carris - Restauradores/Praça da Figueira

Estacionamento

Restauradores
Praça da Figueira

Partilhar
Assinatura 5 espetáculos