A BOL usa cookies para melhorar a navegação dos nossos utilizadores. Ao fechar esta mensagem aceita a nossa política de cookies. SaberMais/ Fechar
Distrito Sala
Detalhe Evento
Cada velhinha que ele grava é a minha avó que não morre

Cada velhinha que ele grava é a minha avó que não morre

Música & Festivais | Popular

Teatro Nacional D.MariaII

Sala Estúdio
Classificação Etária
Maiores de 3 anos
Bilhete Pago
A partir dos 3 anos
2018
fev
17
Realizado

Promotor

Teatro Nacional D. Maria II E.P.E.

Breve Introdução

Cada velhinha que ele grava é a minha avó que não morre
"Manifesto da alfabetização da memória ou ópera das velhinhas"
Uma opera multimédia, onde a narrativa aparece como uma partitura de memórias que é focada pelo video samples dos Sampladélicos. Cada convidado é uma dessas memórias samples que ganha vida e se junta para tocar e dançar o manifesto contra o esquecimento do Portugal em Vias de Extinção. Dar espaço no palco a estes lugares mortos é devolver ao teatro os seus valores primordiais.

Ficha Artística

narrativa concetual Tiago Pereira, Vanda Rodrigues
movimento Mafalda Saloio
música Sílvio Rosado, Tiago Pereira
produção executiva Sofia Matias

Convidados especiais a anunciar

em parceria com A Música portuguesa a gostar dela própria
curadoria Tiago Pereira

Preços

  • Sala Estúdio - 2€

Transportes Públicos

Metro - Linha Azul (estação Restauradores) / Linha Verde (Rossio)
CP - Estação do Rossio
Autocarros/eléctricos Carris - Restauradores/Praça da Figueira

Estacionamento

Restauradores
Praça da Figueira

Partilhar