Bem-vindo à BOL. O nosso site usa cookies e outras tecnologias para personalizar a sua experiência e compreender como você e os outros visitantes usam o nosso site.
Para ver uma lista completa das empresas que usam estes cookies e outras tecnologias e nos informar se podem ou não ser utilizadas no seu dispositivo, aceda à nossa página de política de cookies.

Concordo
Distrito Sala
Detalhe Evento
SEXTA-FEIRA: O FIM DO MUNDO… OU ENTÃO NÃO - Alkantara Festival

SEXTA-FEIRA: O FIM DO MUNDO… OU ENTÃO NÃO - Alkantara Festival

Teatro & Arte | Dança

Teatro Nacional D.MariaII

Sala Estúdio s/ marc
Classificação Etária
Maiores de 6 anos
2020
nov
17
a
2020
nov
22
Realizado

Duração

60 minutos

Promotor

Teatro Nacional D. Maria II E.P.E.

Sinopse

Sexta-feira é o último dos dias úteis do ciclo Sete Anos Sete Peças. Esta peça fecha um
ciclo menor dentro de um ciclo maior. A seguir vem o fim-de-semana, Sábado e Domingo.
A semana é inglesa. Mais ou menos: quem saberá contar as horas de trabalho dedicadas
a este projeto? Imaginar os dias de descanso tornou-se um luxo. O valor do trabalho
evapora-se com o ar de fim dos tempos que assombra o mundo. A ideia de fim do mundo
ameaça paralisar a ação e o pensamento. Pior ainda, a ideia de fim da história faz
acelerar a corrida para decidir quem será a última pessoa, quem entra e quem fica de fora
da barca da história. Mas a história ainda se move, o tempo ainda avança, inexorável.
Em 1947, alguns dos cientistas do Projeto Manhattan, que tinham acabado de inventar a
bomba atómica, criaram, em resposta aos massacres de Hiroshima e Nagasaki e como
alerta para a iminência do desterro nuclear, um relógio do fim do mundo, que marca o
tempo que restaria para o apocalipse. Por exemplo, com a eleição de Trump, os ponteiros
aproximaram-se mais da meia-noite. Nas contas entram a proliferação das armas
nucleares, mas também as mudanças climáticas e a pandemia do Covid-19. Em 2020
estamos a 100 segundos da meia-noite simbólica. É o mais perto do fim que alguma vez o
relógio marcou.
Esta Sexta-feira, Cláudia Dias junta-se com os mais próximos para fechar a semana,
imaginar o futuro imediato e passar a meia-noite. Talvez o fim deste mundo seja apenas o
começo de um mundo novo.

Ficha Artística

Direção Artística E Interpretação: Cláudia Dias
Texto: Cláudia Dias com colaboração de Jorge Louraço Figueira
Música E Direção Musical: Vasco Vaz e Miguel Pedro
Desenho Digital: António Jorge Gonçalves
Direção Técnica E Desenho De Luz: Nuno Borda de Água
Vídeo: Bruno Canas
Fotografia: Alípio Padilha
Acompanhamento Crítico: Karas
Produção: Alkantara
Coprodução: Teatro Nacional D. Maria II, Teatro Municipal do Porto
Residência de Coprodução: O Espaço do Tempo APOIO: Companhia Olga Roriz e
Pro.Dança
Cláudia Dias é artista associada do Espaço do Tempo.

Transportes Públicos

Metro - Linha Azul (estação Restauradores) / Linha Verde (Rossio)
CP - Estação do Rossio
Autocarros/eléctricos Carris - Restauradores/Praça da Figueira

Estacionamento

Restauradores
Praça da Figueira

-
Partilhar

Serviços Adicionais

Veja ainda:

ALL TOGETHER

Teatro & Arte | Dança

Teatro Nacional D.MariaII

Sala Estúdio s/ marc